PRESENTINHO DE NATAL

Noite de Natal. Toda família reunida: avós, pais, tios, primos, sobrinhos, Ele e Ela. Os dois últimos, casados há mais de 25 anos. O relacionamento totalmente desgastado, vivendo como dois estranhos sob o mesmo teto, pouca conversa, silêncio demasiado e o sexo... é peça rara.

 

Ela é quem mais o procura e demonstra interesse em transar. Ele já não aguenta mais se relacionar com sua esposa. Quer experiências novas, corpos diferentes, bocas mais quentes. Muitas vezes a ignora na cama. Para Ela, só resta seguir o trajeto da sala, deitar-se no sofá, assistir a programas pornôs e, como grand finale, se masturbar, gozar e relaxar espichada sobre o assento comprido e estofado. 

 

A entrega dos presentes acontece. A família inteira está feliz. Crianças com seus brinquedos, avós com seus pijamas, adolescentes com seus videogames e o momento de presenteá-la chega. Ele entrega para sua esposa um pacote retangular envolto em um lindo papel celofane. Ela desenrola o papel, abre a caixa e fica atônita.

 

Em sua mão, repousa um caralho de borracha de 23 cm.

 

O silêncio na sala é sepulcral.

 

O clima fica tenso. Todos estão com os olhos arregalados. Num primeiro instante, Ela se assusta. Mas, para surpresa e alívio da família, expele um sorriso largo e brando. Mira fixamente o marido e agradece: “Obrigada”.

 

Ele, cínico e debochado, fala em voz alta e clara: 

 

— Experimente, minha querida. Vê se serve. Senão, é só trocar por outro tamanho.

 

Ela, sem perder a pose e se deixar abater, arremata:

 

— Pode deixar, amor. Fora não vai. Se não entrar em mim, experimentamos em você.

 

Todos gargalham na sala, enquanto Ele deixa escapar um sorriso amarelo e sem jeito. 

 

O cenário volta a ficar descontraído e a noite de Natal segue seu curso natural.

Please reload

posts
Please reload

© 2019 copyright Jim Carbonera. Todos os direitos reservados.